Restaurante Japonês: Tudo o que você precisa saber!

Luan SantosGestão, RestauranteLeave a Comment

como montar

O restaurante japonês é uma das mais lucrativas opções de negócio no ramo gastronômico, pois, nunca sai de moda e atrai muitos consumidores fiéis.

Considerada uma culinária de alto padrão, a comida japonesa é bem abrangente. São diversas formas de se preparar os peixes e frutos do mar.

Além disso, apesar de ser famosa há anos, cada vez mais a procura por ela aumenta devido à demanda de consumo cada vez mais saudável.

Principalmente entre os jovens que, hoje, se importam mais tanto com a qualidade de vida, quanto com o bem-estar. Então, seu cardápio mais natural e saudável atrai diversos consumidores.

São diversos os tipos de ingrediente usados, dos peixes e frutos do mar, até mesmo as algas, legumes e algumas frutas.

No entanto, um bom restaurante japonês precisa muito mais do que ter um bom cardápio. Ele precisa de um conceito sólido e bem definido.

Pensando nisso, ao longo deste artigo, iremos dar algumas dicas de como montar e quais investimento realizar para criar um restaurante de sucesso!

Como Montar Um Restaurante Japonês

como montar um restaurante japonesEntão, para você que quer abrir um restaurante japonês, a seguir irei dar um passo a passo sobre sua estruturação.

1. Foco no ingrediente principal:

Os peixes e outros frutos do mar são os principais ingredientes que configuram a culinária japonesa.

Lembre-se que muitos deles, na maior parte do tempo, serão servidos crus. Por isso, a questão do frescor é muito importante para qualidade.

Então, o primeiro passo para abrir seu restaurante aqui é um pouco diferente, pois, você deverá primeiro encontrar um fornecedor que:

  • Tenha um produto de qualidade;
  • Entregue as proteínas sempre frescas;
  • Atenda horários de entrega flexíveis (dentro dos seus parâmetros);
  • Possuem cuidado e higiene na entrega.

Para encontrar um fornecedor ideal será preciso pesquisar e avaliar seu serviço de antemão.

Um dos aspectos a se considerar é a proximidade do seu restaurante a pesqueiros e áreas litorâneas. Bem como, a facilidade de acesso a peixarias de qualidade e feiras.

É sempre bom ter mais de uma opção de fornecedor, eles devem ter proteínas de procedência verificável para que você consiga checar!

Lembre-se que esse será o carro-chefe do seu restaurante. Desse modo, você deve poder fornecer o melhor, mesmo no tipo de peixe mais simples usado.

2. Localização do restaurante japonês:

O segundo aspecto a se considerar para abertura do seu negócio é o ponto onde este estará inserido, pois, interfere diretamente no seu faturamento.

Portanto, o mais ideal é escolher uma região movimentada. Ou seja, que não seja um lugar muito remoto, mas, considere ainda:

  • Conceito: seu restaurante será mais executivo ou alto nível? O primeiro deve focar em ruas movimentadas perto de grandes prédios comerciais, mas, não muito perto de outras casas do tipo. Já aqueles de alto nível, devem ser em locais bem localizados onde mesmo a noite, a região não fique vazia. Considere ainda locais com turistas;
  • Shopping: apesar de mais trabalhoso para abrir, e custoso também, o shopping pode ser um local para abrir esse tipo de restaurante. Pois, ali será garantido o grande fluxo de pessoas dispostas a conhecê-lo.

Um restaurante japonês não é o tipo de culinária mais acessível, pois, possui uma matéria-prima de preço elevado.

Então, é fundamental abrir seu negócio em um região com poder aquisitivo para seu consumo. Isso irá impedir o casos de falência pela falta de assertividade de público.

3. Infraestrutura do salão e cozinha:

Após a escolha da localidade na qual, você abrirá seu restaurante japonês o passo seguinte é sua infraestrutura.

Sendo assim, a compra de equipamentos, mobílias, etc. Podemos então, separar os ambientes a serem estruturados por:

  • Cozinha: esse será um dos ambientes que devem ser mais bem equipados. Sendo a cozinha quente que em geral é fechada ao público no qual, será necessário equipamentos como panelas, geladeiras, bancadas, utensílios, fritadeiras, entre outros;
  • Sushibar: apesar de comumente estar presente no salão, essa é uma estação a parte. Ou seja, seus equipamentos devem ser considerados de forma separada a ele. Aqui é o local para compra de equipamentos para montar uma estação fria com tudo que é essencial para o preparo desses alimentos;
  • Estoque: aqui estamos falando daquele setor ligado a cozinha no qual, serão armazenados os produtos em stand by. Ou seja, que serão usados em breve, mas, por enquanto ainda não precisam estar a postos nas praças de preparos. Para isso, será necessário geladeiras, freezers/câmara fria e o estoque seco, composto por prateleiras;
  • Salão: é o ambiente no qual, o cliente irá consumir a comida japonesa. Bem como, onde estará o caixa, bar e banheiros. Então, considera a mobília, decoração, utensílios do bar e itens necessários ao banheiro;
  • Despensa: esse será o ambiente para armazenamento, separado, dos produtos tanto de limpeza, quanto do serviço. Basicamente, os equipamentos necessários serão armários para o primeiro e prateleiras, se preferir (acessibilidade) para os segundos. Sendo armazenados aqui os hashis de madeira, louças ao final do expediente, embalagens plásticas, entre outros.
  • Administrativo: por fim, temos uma sala separada na qual, estarão os itens de papelaria e para gestão do restaurante. É aquele em que tanto o chefe executivo, quanto o gestor/dono podem realizar tarefas administrativas, financeiras e de gestão, com acesso a computadores, impressora, etc.

4. Equipe do restaurante japonês:

Para finalizar, a contratação é um dos aspectos mais importantes para o desenvolvimento do seu negócio.

Exigindo assim, primeiramente, um sushiman com experiência e capacitação no assunto. Apesar de um muitos ambientes não ser algo exigido, aqui isso se torna importante.

Pois, o profissional que irá dar vida a cozinha japonesa deverá ter cursos que ensinem tanto o preparo, quanto de higiene e segurança alimentar.

Além do sushiman que é o chefe dessa cozinha, outros funcionários devem ser bem selecionados. Tanto ajudantes, quanto equipe de limpeza, garçons e gerente.

Destaco aqui a importância de ao menos um funcionário por turno para a limpeza especificamente, pois, quem trabalha no preparo de comidas nesse tipo de culinária deve evitar a limpeza pesada.

Restaurante Japonês e Suas Formas De Inovar

Toda a estrutura e contratação de pessoais é importantíssimo para ter um negócio bem definido, com bases sólidas.

Contudo, é importante ainda buscar formas de inovação. Isso porque elas representam um restaurante japonês que pensa em crescimento.

Existem inúmeras formas de se fazer isso, abaixo iremos mostrar algumas delas que farão toda diferença.

Para conseguir isso, recomendo que você primeiramente visite outros estabelecimentos. De modo a se familiarizar com o conceito, bem como, para:

como abrir um restaurante japones

  • Analisar seus pontos fortes e fracos e o diferencial;
  • Conheçer seu cardápio e descubrir o que mais faz sucesso na média;
  • Tentar conhecer a frequência de dias e horários em cada um;
  • Relacionar frequência com nível, público e localização;
  • Verificar o preço médio e destaques dos cardápios.

Provavelmente, você notará que a maioria segue uma tendência semelhante, se diferenciando em aspectos mais relacionados ao público.

Como, por exemplo, o poder aquisitivo de cada um deles. Ou até mesmo, a proposta em relação à região.

Alguns focam na movimentação de locais de trabalho, outros regiões um pouco mais intimista, etc.

1. Ambientalização:

Muito além de investir na infraestrutura do salão em si, a ambientalização do restaurante japonês tem a ver com sua temática, conceito.

Um dos principais focos, é proporcionar um ambiente com clima de interação. Ao contrário de bares e casas com entretenimento ao vivo, esse tipo de negócio segue o conceito de comensalidade.

Ou seja, de aproveitar a comida e apreciá-la ao máximo ao mesmo tempo que, desfruta da sua companhia ou solitude.

Portanto, invista em algo tranquilo, aconchegante, que siga a etiqueta japonesa e com atendimento cordial. Além disso, você deve investir em:

  • Decoração: busque proporcionar uma temática japonesa, indo além das louças. Prefira ambientes que remetam aos tradicionais restaurantes japoneses e que façam referências a essa cultura. Adaptando-a ao seu público-alvo. Diversos restaurantes utilizam imagens ou objetos de gueixas, carpas, guerreiros samurais, alfabeto japonês, entre outros;
  • Culturalização: outra forma muito boa de criar um ambiente ideal, é mostrando um pouco mais da cultura japonesa além da decoração. Isso desde que seu público-alvo seja aquele que se encontra aberto a conhecer mais dela. Para isso, você pode acrescentar curiosidade tanto no cardápio, quanto em quadrinhos na parede do restaurante. Principalmente, com destaque na comida em si, como por exemplo, algo que ensine mais sobre o uso dos hashis (palitinhos). No cardápio, você pode ainda utilizar algumas palavras em japonês, desde que apresente sua traduz. A carta (menu) se chama karuta, por exemplo, o pão é pan, pão-de-ló é pandoro, etc;
  • Harmonização: um dos conceitos do ambiente deve ser a estética, bem como, na cultura japonesa. Portanto, busque harmonizar as cores do ambiente com uniforme, utensílios, decoração, etc. Não precisa ser tudo igual, mas, deve seguir uma paleta de cores. Além disso, não se prenda apenas ao vermelho, a cultura japonesa o valoriza, mas, você pode ir além.

2. Diversifique o menu do seu restaurante japonês:

japaA inovação é um dos pontos principais em qualquer negócio para quem deseja alcançar o sucesso e isso, vale para o seu cardápio.

Quem frequenta restaurantes japoneses no Brasil, encontra um ambiente diferente dos originais. Acontece que essa culinária sofreu adaptações.

Os principais motivos foram os ingredientes de difícil acesso e o paladar nacional que é bastante característico, levando a uma pegada americanizada.

Mas, você pode investir muito além do que é oferecido como “básico” na maioria dos estabelecimentos. Portanto, preste atenção nos preparos:

  • Praça fria: eles vão muito além dos tradicionais sushis e sashimis, existem ainda outras opções que podem ser acrescentadas. Um exemplo disso, é o onigiri que são bolinhos de arroz recheados e o mochi, um bolinho doce;
  • Praça quente: a culinária japonesa é muito rica em cocções que incluem sopas, frituras, alimentos cozidos e preparos diferente de carne.

Em alguns lugares, acrescentar um pouco de outros pratos asiáticos no cardápio pode ser uma boa pedida, como aqueles chineses e tailandeses.

3. Invista na tecnologia:

Nos dias de hoje, investir na tecnologia não é algo fundamental mais apenas para grandes empresas e sim, para todos os tipos de negócio.

Até mesmo aqueles pequenos que estão começando. Uma vez que, o avanço tecnológico auxilia no desenvolvimento do seu restaurante japonês.

Para isso, o principal é investir em sistemas de gestão automatizada que englobam os diversos processos presentes no estabelecimento:

  • Cozinha;
  • Salão;
  • Administrativo;
  • Financeiro;
  • Etc.

Um exemplo de uso da tecnologia são as comandas e cardápios eletrônicos que facilitam a rotina do restaurante.

Além é claro, de melhor o atendimento e, com isso, a satisfação dos clientes. Sistemas automatizados facilitam ainda a comunicação com a cozinha.

Já que os pedidos são enviados automaticamente, agilizando o serviço e reduzindo os erros.

Outra forma de uso é para administrar as filas de espera. Afinal de contas, atingindo o sucesso seu restaurante irá ter alta demanda e pessoas esperando para entrar na casa nos horários de pico.

Tudo isso, aumenta ainda a lucratividade ao gerar um melhor aproveitamento da mão-de-obra, elevando a produtividade.

Bem como, dos recursos evitando desperdícios. Sem falar é claro da criação de um serviço cada vez mais padronizado.

Por fim, investir na tecnologia significa ainda, investir em estratégias de marketing digital para melhor divulgar seu restaurante.

Como Deve Ser O Serviço Do Restaurante Japonês?

Agora que você já sabe tudo sobre como abrir um restaurante japonês, é muito importante considerarmos os aspectos que envolvem seu serviço.

Como dito na introdução, esse é um tipo de culinária de alto padrão. Portanto, seu restaurante deve garantir essa imagem, certo?

japones

Restaurantes japoneses que não demonstram sua qualidade em todos os aspectos, mas, principalmente no serviço, acabam sendo malvistos.

Por trabalhar com muitos pratos crus, é importantíssimo ressaltar certos conceitos. Tais como, os de:

  • Higiene: funcionários devem sempre utilizar roupas limpas e evitar falar perto dos pratos e ingredientes (principalmente os cozinheiros). Além disso, o ambiente deve oferecer álcool em gel a vista para seus clientes e uma pia para lavar a mão, fora dos banheiros;
  • Limpeza: o ambiente precisa ser sempre muito bem higienizado, desde a cozinha, o sushibar, mesas, cadeiras, chão, etc. Isso porque ele precisa transmitir um ambiente que segue os conceito da culinária japonesa.

Alguns outros detalhes são importantes ainda, tal como, durante o expediente celulares devem ser proibidos para uso.

Principalmente, a quem prepara os alimentos servidos crus. A fim de evitar contaminações, o que leva a outros cuidados estipulados pela Anvisa.

1. Linha de montagem no serviço:

O serviço do restaurante japonês engloba ainda um outro aspecto que diz respeito a sua agilidade e eficácia.

Isso porque o tempo de entrega dos pratos deve ser reduzido, mesmo não seguindo um conceito de fast food. Mas sim, porque condiz com o tipo de serviço e sua tradição.

  • Equipe do salão: o pessoal deve ser treinado para logo assim que o cliente faz o pedido, estes estejam de prontidão para a entrega dos pratos. Para agilizar todo o processo, as bebidas devem ser entregues um pequeno tempo antes. Mas, o grande destaque mesmo está na recepção, pois, assim que o cliente chegar estes deve já lhe atender;
  • Cozinha e produção: os processos dentro de uma cozinha japonesa devem ser altamente padronizados, seguindo assim, uma espécie de linha de montagem. O que funciona especialmente para os pratos servidos crus ou frios. Por isso, a produção deve se certificar de, antes do serviço começar e ao longo dele, ter um pré-preparo abastecido e armazenado em temperatura adequada para manter o frescor/sabor;
  • Preparação: durante o serviço, sua equipe deve ser bem formada e organizada, pois, os sushimans devem estar alinhados cada um em suas respectivas atividades. Dependendo do fluxo do ambiente, o ideal é separar um responsável para os temakis, outro para sushis e sashimis. Enquanto um terceiro, fica responsável pelas comidas frias e um quarto, fica pronto para dar apoio a todos os setores no preparo do arroz, separação das algas, reabastecimento, preparo de bebidas, entre outros;
  • Apresentação: outro ponto essencial é a forma como a comida é servida. Essa deve ser bem desenhada/disposta, a fim de atrair não apenas no sabor, como também, pelos olhos. Um dos pontos de destaque do restaurante japonês, é a beleza estética da comida.

2. Restaurante japonês a la carte vs. rodízio:

Quando o assunto é serviço, um dos pontos mais relevantes para abertura de um restaurante se dá pela decisão do serviço ser:

  • A la carte;
  • Rodízio.

O primeiro segue uma tendência mais tradicionalista, principalmente, se formos considerar a cozinha japonesa de origem.

No entanto, o rodízio no restaurante japonês representa grande lucratividade. Tal culinária já possui um valor um pouco elevado, desse modo, as pessoas acabam preferindo pagar mais e comer sem limites.

Muitos restaurantes apostam em ambos os serviços, já que isso pode representar um posicionamento estratégico frente a concorrência.

Atraindo assim, clientes com diferentes preferências. Mas, esteja atento a alguns detalhes, pois, o cardápio deve conter:

  • Pratos diferenciados no serviço a la carte, indo além do básico;
  • Opções tradicionais no rodízio, não focando apenas no diferenciado;
  • Em ambos os serviços, opções da casa com foco no diferencial.

Conclusão

Vimos então, ao longo deste artigo, tudo sobre como abrir e estruturar um restaurante japonês de alto nível, qualidade e sucesso.

restaurante

Lembrando sempre da importância que a higiene e segurança alimentar possui nesse ambiente. Devido à alta manipulação de alimentos que serão servidos crus, o que torna importante treinamentos/cursos do tipo.

Além disso, para facilitar a rotina e impulsionar o crescimento, é muito importante contar com tecnologias como:

  • Sistema automatizados de gestão;
  • Cardápios digitais integrados com a cozinha.

O que você achou deste conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe nas redes sociais!

 

Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *